Coreia do Norte x EUA à luz da Teoria dos Jogos

O mundo inteiro está à luz da teoria dos jogos, de respiração presa, pensando o que vai acontecer se, de fato, a Coreia do Norte bombardear a ilha de Guam, conforme seu líder Kim Jong-um tem prometido, e se isso levaria a uma Guerra Nuclear que pode, no limite, envolver Rússia, China e outras potencias e reacender a Guerra Fria.

A teoria dos jogos

Em Teoria dos Jogos, existem dois tipos de jogos: os finitos e os infinitos. Jogos finitos são definidos por players conhecidos, regras fixas e um objetivo a ser disputado. Um jogo de futebol é um jogo finito. Já um jogo infinito tem players conhecidos ou desconhecidos, as regras podem ser alteradas e a única regra é perpetuar o próprio jogo.

Quando temos um jogo de players finitos contra players finitos, o sistema é estável (como um jogo de futebol, exceto se o jogo ocorrer em São Januário, kkk). Colocar um player infinito contra outro player infinito também resulta em um sistema estável, porque não existe um ganhador e um perdedor, o que se deseja não é a vitória, é a perpetuação do jogo. Se não existe derrota, o que pode existir é um player sair do jogo, seja por falta de recursos, seja por não querer mais jogar.

Os problemas ocorrem quando colocamos um player finito contra um player infinito. Um quer ganhar, outro quer se perpetuar. Esse erro acontece nos negócios o tempo todo, quando uma empresa tenta ser a melhor e bater o mercado, e não se dão conta que o mercado é um jogo infinito, de perpetuação, de visão de longo prazo. Não raro esse tipo de empresa é comprada, ou fundida ou sai do mercado por falta de recursos. Esse erro também é muito comum acontecer em guerras em que uma parte quer vencer (EUA/Rússia) e outra quer sobreviver (Iraque/Afeganistão).

A Coreia do Norte

O problema da Coreia do Norte não começou hoje. Começou em 1991 quando acabou a URSS e os EUA declararam que a Guerra Fria tinha acabado e que eles tinham vencido. Não venceram!! Simplesmente um dos jogadores saiu por falta de recursos. E como em todos os jogos infinitos, novos jogadores vão surgir. Os três vetores que fundaram a Guerra Fria (tensão nuclear, tensão ideológica entre capitalismo e comunismo e tensão econômica) continuam existindo e bastante inflamados, apenas trocamos URSS por Coreia do Norte na frente nuclear, trocamos comunismo por extremismo islâmico na frente ideológica e trocamos URSS por China na frente econômica. Se você conhece Teoria dos Jogos, sabe que o que está acontecendo agora está muito mais pra uma Guerra Fria versão 2.0 do que uma tensão diplomática isolada.

Enquanto os EUA ou qualquer de seus aliados tentarem vencer, estarão sempre correndo atrás de novos problemas e com metas mais curtas e mais urgentes. Este não é um jogo finito. Enquanto tentar vencer, nunca vão saber “contra quem estamos lutando”, afinal o sistema se torna complexo e cada vez mais forças e mais variáveis surgem. Seus aliados se confundem, e a determinado ponto mesmo eles começarão a lutar entre si, afinal não sabem contra quem estão lidando.

A Estratégia

A melhor estratégia a se adotar em um jogo infinito é ter valores imutáveis e traduzi-los em interesses, mutáveis e temporários. Líderes erram ao se focar e negociar baseados em interesses, que muitas vezes vão contra seus valores. Isso os leva a roubar, matar, torturar sem que isso os leve à resposta “pelo que lutamos?” Agir com valores constantes, ainda que contra nossos interesses, nos torna previsíveis, traz a confiança dos aliados e nos faz perceber facilmente se está conosco ou contra nós.

A FK Partners desenvolve treinamentos para te trazer à luz da Teoria dos Jogos, Estratégia e Teoria da Decisão. Entre em contato para contratar um curso ou palestra nessa área pra sua empresa.

 

Publicado em 14/08/2017

4 dicas para ser um profissional atualizado constantemente

 

O mercado de trabalho está ficando cada vez mais exigente, por isso, ser um profissional atualizado é imprescindível para garantir sua competitividade e sucesso. Destacar-se no meio de tantos profissionais é um desafio constante enfrentado pelo profissional, que deve buscar qualificação e não poupar esforços para conseguir seu próprio desenvolvimento.

A disputa no mercado de trabalho é grande e mesmo aqueles que já têm uma carreira estabilizada precisam estar em dia com as novidades do seu segmento. Nos tempos de hoje em que mudanças ocorrem rapidamente, quem não é capaz de acompanhá-las acaba ficando para trás e perdendo boas oportunidades de crescimento profissional.

Por outro lado, o profissional atento, que procura constantemente atualizar seu currículo e aperfeiçoar suas habilidades, é o mais procurado e valorizado pelas empresas. As necessidades que o mercado impõe variam o tempo todo e as empresas buscam profissionais que acompanham essas atualizações, seja no momento de uma nova contratação ou na hora de revisar o quadro de funcionários.

Você não quer ficar para trás e perder boas oportunidades, não é mesmo? Então veja as dicas que preparamos para que você sempre seja um profissional atualizado!

1. Invista em qualificações formais

Investir em cursos de especialização e atualização é um hábito que indica boas qualidades a respeito do profissional. Hoje em dia as empresas procuram por profissionais que tenham algo além do curso de graduação em seu currículo.

Para isso, é importante estar atento às necessidades da sua área de atuação e aos seus objetivos para investir nos cursos que te proporcionarão maior competitividade. Por exemplo: se você atua em uma das áreas do planejamento financeiro pessoal e está em busca de um bom preparo para o exame CFP, um ótimo curso seria o Certified Financial Planner oferecido pela FK Partners.

2. Participe de congressos e eventos

Além de serem ótimos locais para estabelecer novas conexões em seu networking e, claro, fortalecer as antigas, os eventos do seu segmento também são ideais para se manter ciente das novidades.

Fique atento aos congressos, seminários, palestras e workshops mais importantes da sua área, neles você terá acesso às novas ideias, pesquisas e tendências de mercado do seu setor. Esse conhecimento fará grande diferença no seu currículo.

3. Aprenda outro idioma

Falar mais de um idioma já é um requisito obrigatório para os profissionais de muitas empresas, porém, para quem não pratica com frequência, a fluência pode acabar se perdendo com o tempo. Por isso, mesmo os profissionais que já possuem um curso de línguas não devem se descuidar, afinal, é a prática que leva a perfeição.

Outro fator decisivo para um profissional atualizado é não se contentar apenas com o inglês. Procure investir também em outros idiomas que estejam mais presentes no seu segmento, isso contará muitos pontos no seu currículo e te deixará na frente da concorrência.

4. Participe de grupos temáticos

As redes sociais, como Facebook e LinkedIn, também podem ser grandes aliadas do bom profissional atualizado. Para aproveitar o potencial que elas disponibilizam, uma boa dica é participar de grupos temáticos.

Nesse tipo de grupo é possível participar de discussões relevantes sobre temas relacionados à sua área de atuação, além de ser um bom local para troca de informações, experiências profissionais, opiniões e novidades. Também é uma boa oportunidade para ampliar seu networking.

Agora que você já sabe como ser um profissional atualizado, não perca tempo e coloque as nossas dicas em prática! E não se esqueça de contar para nós: o que você faz para se atualizar profissionalmente?

 

 

Publicado em 13/07/2017

PQO – Conheça as 5 modalidades

A certificação PQO é um programa da B3 que atesta o conhecimento nas diversas áreas de atuação e mantém uma atualização contínua de quem atua em mercados administrados por ela.

A prova de certificação é em computador e feita nas dependências da B3 Educação em São Paulo e no Rio de Janeiro, além de centros de teste em Porto Alegre e em Belo Horizonte. A certificação tem 60 questões e a recertificação tem 30 , ambas de múltipla escolha e o nível das questões e os assuntos abordados variam para cada função.

A prova tem duração de 3 (três) horas. O profissional será considerado aprovado se acertar, no mínimo, 60% das questões. Pode-se usar a calculadora eletrônica HP12C.

Por lidarem com diferentes funções, há várias modalidades de PQO. Veja aqui a mais indicada pra você.

PQO Operações: Aplica-se aos profissionais que realizam a intermediação de operações nos sistemas da B3. Na prática é a pessoa que zela para que se debite a conta do comprador das ações e que se credite à mesma pessoa as próprias ações e que o vendedor receba o crédito do $$ na sua conta e que as ações desapareçam de sua posição.

PQO Compliance: Aplica-se aos profissionais responsáveis pela supervisão dos procedimentos e dos controles internos das corretoras. Extremamente importante para evitar fraudes, lavagens de dinheiro, constituição de garantias inexistentes ou falsas, clientes fantasmas, etc.

PQO Risco: Aplica-se aos profissionais responsáveis pelo monitoramento do risco nas operações realizadas nos mercados e sistemas da B3. Eles olham percentuais de chamada de margem, salvaguardas e alçadas para liberação de certos procedimentos.

PQO Comercial: Aplica-se aos profissionais responsáveis pela distribuição dos produtos negociados por meio da B3. São as pessoas que estão em contato direto com os clientes, recebendo ordens de compra e venda.

PQO Back Office: Aplica-se aos profissionais responsáveis pelas atividades de liquidação, registro, controle de garantias, custódia e cadastro de clientes. Talvez a modalidade mais completa e mais difícil, da prova, vê o processo completo de liquidação e registro de uma operação na Bolsa. A modalidade Back Office desdobra-se em 3: Custódia, Liquidação e Registro.

  • PQO Custódia: Aplica-se aos profissionais de back office que realizam apenas atividades relativas à custódia nos respectivos sistemas da B3.
  • PQO Liquidação: Aplica-se aos profissionais de back office que realizam apenas atividades relativas à liquidação das operações realizadas nos respectivos ambientes da B3.
  • PQO Registro: Aplica-se aos profissionais de back office que realizam apenas atividades relativas ao registro das operações realizadas nos ambientes da B3.

A FK Partners treina profissionais para todas as modalidades de PQO. Cursos presenciais e online. Consulte-nos para entender qual o melhor módulo para sua carreira.  

Por Raphael Palone
Publicado em 16/08/2018

Porque gerentes de relacionamento bancário se tornam agente autônomos?

O trabalho do gerente de relacionamento bancário não é tão diferente do de um agente autônomo de investimentos. Ambos, na prática, vendem produtos financeiros, precisam ter competência técnica, ter bons relacionamentos com clientes, possuem metas de vendas dentre muitos outros tópicos que poderíamos elencar.

A segurança financeira também não é tão diferente. Talvez neste quesito o gerente de banco leve vantagem porque normalmente recebe uma remuneração fixa. Mas hoje em dia é difícil um gerente de relacionamento de banco ficar seguro em relação ao seu emprego. Um dos motivos é que um grande número de investidores estão deixando de investir seus recursos em bancos e procurando corretoras. Ou seja, está havendo a tal da “desbancarização”. Isso acarreta um potencial de redução do número de gerentes e risco de desemprego.

No quesito jornada de trabalho o agente autônomo de investimento leva um pouco de vantagem, por não que bater ponto e ter flexibilidade (não tem um chefe).

Em geral, os gerentes de relacionamento bancário têm se tornado agentes autônomos, pelo potencial de maiores ganhos. Um agente autônomo de investimento tipicamente recebe uma remuneração variável maior em cima dos investimentos realizados pelos seus clientes que um gerente de banco.

Aparentemente a maior motivação para essa mudança de ambiente profissional seria para gerentes de relacionamento com uma carteira grande de clientes fiéis. Para estes, a remuneração variável maior poderia ter um apelo enorme e a ausência de remuneração fixa não seria sentida.